Consciência / Consumo Consciente / Orgânicos / Saúde

Cuidando das pessoas

Se quisermos cuidar do mundo temos que começar aprendendo a cuidar de nós mesmos, para tanto, escreverei uma pequena série de posts com o intuito de ‘desmascarar’ alguns alimentos. Mostrar algumas opções diferentes para velhos hábitos dos quais somos prisioneiros (infelizmente eu me incluo com força nesse grupo), seja por costume, falta de informação ou por influência da onipresente propaganda.

Açúcar
Para começar ninguém melhor do que o velho açúcar. Presente em praticamente todos os  lares, passamos a vida nos “entupindo” dessa substância. Bem, o nosso organismo necessita de glicose, através dela que as nossas células podem se abastecer da energia necessária para funcionarmos. A glicose é encontrada naturalmente em frutas, cereais, legumes e também nas hortaliças. Assim, uma alimentação balanceada a melhor maneira de suprir a sua necessidade diária de glicose.
Consumida na sua forma natural, a glicose já vem acompanhada de todas as substâncias necessárias para a sua digestão.  Quando consumimos açúcar, nosso organismo precisa retirar essas substâncias de algum outro lugar. É nesse momento que perdemos minerais como o cálcio, o magnésio, e outras substâncias que nos farão falta no futuro.


Além disso, quando ingerimos açucar estamos na realidade ingerindo uma dose de energia muito acima daquela que necessitamos, com isso o nosso pâncreas precisa trabalhar muito mais do que de fato ele aguenta, pois precisa produzir mais  insulina. E todas essas horas extras  somadas ao estress causado nesse órgão –  ao qual pouco damos importância  – , causa algo que sem dúvida já ouvimos falar: a Diabetes. E vale lembrar que uma vez adquirida a doença, não há reversão.
Já mencionei que, para metabolizar todo esse açucar o nosso organismo acaba lançando mão de uma coisinha chamada cálcio não é? Consequências disso? Algumas cáries, um pouco de reumatismo e por fim uma bela osteoporose.
Para aqueles que prezam a boa aparência física vale ressaltar que, esse mesmo excesso de glicose que foi o responsável por roubar seu precioso cálcio e por fadigar o seu pâncreas, precisa ir para algum lugar. “E que lugar seria esse?”, você pergunta.  Resposta: Um belo depósito de gordura!
Ainda não foi o suficiente? Então vai aí mais uma “listinha” de consequências com as quais você poderá se deparar cedo ou tarde: Envelhecimento precoceproblemas digestivos, câncer, enfraquecimento do sistema imunológico, anemia… Em resumo, um completo desequilíbrio do seu organismo.
Exagerado? De modo algum, uma pesquisa rápida e você confirmará tudo isso e ainda encontrará alguns malefícios bônus, que eu não listei por não ser nenhum perito no assunto.
Aliando isso tudo ao fato de que o açúcar funciona do mesmo modo que qualquer outra droga –  ou seja, as quantidades tendem sempre a aumentar, tanto quanto a dependência – , o organismo cria uma falsa necessidade dessa substância. Chegando ao ponto de você acreditar que não é capaz de passar o dia sem pelo menos um café com açúcar e um pedacinho de chocolate. Isso faz com que seu paladar fique cada vez menos sensível aos demais sabores. Por isso, é importante ressaltar que temos aqui um sério inimigo para nós, nossa família e principalmente para os nossos filhos.
Não é necessário, e muito menos benéfico, consumir açúcar. O fato é que, nos dias atuais isso é uma tarefa difícil. Assim,  proponho então algo mais fácil:
Para começar, diminua. Preste atenção em quanto açúcar você consome, anote quanto você gasta por mês com esse item e se comprometa a diminuir a quantidade mês a mês. Ao invés de duas colheres no café, coloque uma só. Se puder não coloque. Não se martirize mas, faça o possível para reduzir seu consumo.
Eu proponho como segundo passo uma substituição. E aí sim, de todo o açúcar que você tem em sua casa para algo menos prejudicial. Como? Uma breve explicação sobre os principais tipos de açucares encontrados em nossos mercados nos ajudará:
Açúcar branco refinado (o mais comum): Esse é o que deve ser substituído urgentemente pois, ele é completamente destituído de nutrientes. É caloria pura. Seu processo de refinamento se utiliza, entre outras coisas, do enxofre para deixá-lo mais bonito e saboroso. Pegue seu açúcar refinado e jogue pela janela agora mesmo!
Açúcar light: O açúcar Light (light????), é o mesmo açúcar refinado acrescido de aspartame, o ciclamato e a sacarina, todos adoçantes artificiais e prejudiciais. Pra privada com ele!
Açúcar Cristal: Menos refinado (sobram 10% dos minerais), logo, um pouquinho menos mal.
Açúcar demerara: Sofre apenas um refinamento leve e não recebe aditivos químicos, é por isso mais escuro e tem um valor nutritivo mais alto que os anteriores. ‘Tá começando a ficar mais interessante.
Açúcar orgânico: Não utiliza ingredientes artificiais em nenhuma parte do processo de produção.  Por isso, é mais escuro e mais grosso. Em geral um pouco mais caro. Caro para o bolso, não para o seu organismo, diga-se de passagem.
Açúcar Mascavo: Não é refinado. É escuro e úmido, extraído do cozimento da cana, conserva o cálcio, o ferro e os minerais naturalmente presentes na cana. Tem um gosto um pouco diferente dos demais que para alguns necessitará de um período de adaptação. Ele deve ser a meta de substituição.
E o terceiro passo: Bem óbvio, evitar ao máximo (que tal reservar para aquele momento especial apenas?) doces, sorvetes, bolos e…  REFRIGERANTES!!! O próximo tópico.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s